TJ: estimativa de mais de 300 aposentadorias

5 minutos para ler

Presidente do Sindojus, Claudete Pessôa diz que muitos servidores aguardavam pelo Programa de Incentivo à Aposentadoria

Parte das vagas do PIA será usada para chamar os aprovados do cadastro

Além da expectativa em torno da divulgação do novo cronograma do concurso, os inscritos e os futuros candidatos da seleção para o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) aguardando com muita ansiedade o término do prazo para adesões ao Programa de Incentivo à Aposentadoria (PIA) do TJ-RJ, que vai até o final deste mês. Estima-se que mais de 300 servidores participem do PIA.


Em janeiro, o TJ-RJ deverá informar quantos servidores aderiram ao PIA e que serão desligados. Dessa forma, os candidatos do atual concurso poderão ter uma melhor noção de quantos aprovados o tribunal poderá convocar após a homologação do resultado final.


Vale lembrar que, no final de julho, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), desembargador Claudio de Mello Tavares, bloqueou todos os 551 cargos vagos na estrutura do órgão, que surgiram após a assinatura do Regime de Recuperação Fiscal (RRF), em setembro de Inclusive, as 160 vagas que estão sendo oferecidas no edital.


No entanto, no dia seguinte, o presidente do TJ-RJ abriu o PIA, de forma que fossem abertas vacâncias para repor as vagas do edital. A expectativa é de que o número de adesões ao programa de aposentadoria seja muito superior à oferta inicial do concurso.


A presidente da Associação de Oficiais de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (Sindojus), Claudete Pessôa, estima que o número de adesões sejam muito similar ao do último PIA, realizado em 2018, quando 333 servidores pediram a aposentadoria.


“O PIA é o que muitos servidores ficam aguardando. Nesse programa existe a possibilidade de pagamento de indenizações por férias não gozadas, licença-prêmio não usufruída. E se você se aposentar fora do programa
você não recebe. Normalmente todo ano tem o PIA e tem uma enxurrada de aposentadoria. Eu acredito que devem passar de 300 adesões”, afirma.


Se, hipoteticamente, 300 servidores aderirem ao PIA, as 160 primeiras vagas serão utilizadas para chamar os classificados dentro do quantitativo especificado em edital. As outras 140 poderão ser preenchidas pelos aprovados que estarão no cadastro de reserva.

Powered by Rock Convert


Claudete Pessôa, que além de presidente do Sindojus é professora e coach, acredita que o TJ-RJ convocará muitos aprovados durante o prazo de validade da seleção. “Trata-se de um dos concursos que mais chama aprovados no Estado do Rio de Janeiro. Temos uma grande carência de pessoal que está crescendo mais ainda. Com essa suspensão, as pessoas não pararem de se aposentar, de falecimentos. Os candidatos devem estudar para ficar no topo da lista de classificação. É o suficiente para ser nomeado no prazo de validade do concurso.”


O TJ-RJ já informou que as inscrições do concurso para 160 vagas de técnico e analista judiciário serão reabertas quando a seleção for retomada, o que deverá acontecer no início do ano que vem, já na gestão do desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, eleito como novo presidente do TJ-RJ na última segunda, dia 30.


As inscrições serão aceitas no site do Cebraspe (organizador), com taxas de R$80 (técnico) e R$100 (analista). A expectativa é de que o novo cronograma possa ser divulgado até meados de janeiro.


Das 160 vagas oferecidas, 85 são para técnico judiciário (apenas nível médio; R$5.556,06) e 75 de analista judiciário (nível superior em diversas áreas; R$8.059.89 ou R$9.972,05). Todos os valores já incluem gratificações e o auxílio-alimentação, de R$1.290. A carga de trabalho também é de 40 horas semanais.


No caso do analista, aas 75 vagas oferecidas, 31 são para analista sem especialidade, que requer graduação em Administração, Direito ou Economia. As outras 41 estão distribuídas pelas seguintes áreas/especialidades: assistente social, médico, médico psiquiatra, psicólogo, contador, comissário de justiça da infância, da juventude e do idoso (Direito, Administração, Serviço Social, Sociologia, Psicologia ou Pedagogia), execução de mandados (Direito), gestão de TIC, infraestrutura de TIC, analista de negócios (Administração ou em Engenharia de Produção), analista de projetos, segurança da informação e analista de sistemas.


Claudete Pessôa acredita que até aqueles que iniciarem a preparação agora ou há poucas semanas têm chances de conseguir a aprovação, desde que façam isso com metodologia. “Quem começou agora deve saber que estudar exige metodologia. Continue estudando para concursos que tenham conteúdo similar. Não se pode estudar apenas para um concurso. Tem que começar agora. Se as provas forem em abril, ainda tem muito tempo para
estudar”, finalizou.

Nos acompanhe em nossas redes sociais: @superprofessores_ Facebook You Tube

Você também pode gostar

Deixe um comentário